fbpx

Planejamento não é uma ciência exata.


Tratar o planejamento de comunicação como uma ciência exata é o primeiro equívoco que provavelmente você irá cometer enquanto profissional atuante da área.

Até mesmo chamar o planejamento de comunicação de “área” já é de se questionar, quando não se existe um campo exato que delimita suas funções dentro de tudo que comunicação possa significar.

E é por isso que lutamos, no bom sentido, contra a cultura do imediatismo e a cultura do curto-prazismo, quando o assunto é planejamento.

Em especial o planejamento de comunicação.

O “mercado digital” está criando uma cultura curto-prazista extremamente genérica e repleta de gente, me perdoem o terno, cuspindo certezas sobre o planejamento.

Como já dissemos por aqui, planejamento não é uma profissão que deve ser vista como uma profissão de respostas, mas, sim, de perguntas. Muitas, por sinal.

E essas certezas, pregadas pelo mercado e sua comunidade, estão cada vez mais vindo embaladas em pacotes para pronta entrega.

Muitas vezes, sim, vendidas como pacotes. Literalmente.

É um tipo de venda ambulante*;

E ai, Dotô, o que vai hoje?
Manda um planejamento estratégico de mídias sociais ai, meu bom!
É pra já!

Ih, mas isso aqui tá frio, hein?
Quer que esquenta?

Não, quero outro ou meu dinheiro de volta, amigo.
Na concorrência tá mais bonito.

Deixa comigo, Doutô!


*E não entendam errado, o vendedor ambulante está certo quando faz isso, você, não.

É um ciclo.

Culpa do profissional? Sim.
Só dele? Não.

Culpa do próprio ecossistema.

É estrutural.

Se o  cliente está confuso e você percebeu isso, a culpa é sua que tá vendendo cada vez mais soluções imediatas para problemas complexos que, na maioria das vezes, são problemas que só vão ser resolver a longo prazo.

“Mas o pequeno e médio não pode ser refém do longo prazo!” Você pode questionar…

E isso nós concordamos e muito.

O problema é que só estão oferecendo a mão de obra a curto prazo, com medo de explicar que um “apanhado de curtos-prazo” sempre termina em algo desenhado para o futuro. Ou seja, para longo prazo.

E quanto você vende só o “pra ontem”, negligencia o registro de fato estratégico.

Novamente, a culpa da cultura do imediatismo que boa parte da comunidade está se prestando ao desserviço de aplicar. Sem ao menos uma análise de contexto e possíveis horas que serão dedicadas a resolver o problema do cliente.

É a venda pela venda e depois a “gente resolve”.

Muitas dessas pessoas, sem dúvida, profissionais extremamente competentes.

O problema é a maldita ideia de querer modelar e entregar algo que não tem forma: o planejamento estratégico de comunicação.

E, neste ponto, é bom ressaltar que não estamos tratando aqui de planejamento tático ou nada que seja puramente operacional ou organizacional (o que é o caso de 90% do que é entregue hoje).

Para esses nós podemos  e devemos desenhar os modelos, isso vai otimizar muito o trabalho.

Estamos abordando a necessidade de que profissional de planejamento entenda que ele precisa para de procurar atalhos e começar a se aprofundar de verdade, e com responsabilidade, na profissão, caso ele queira assumir de fato papel de estrategista em algum momento.

Título que, por sinal, está no linkedin de muitos.

Estrategista não opera com soluções exclusivamente imediatas.

O estrategista precisa de visão sistêmica, já bastante abordada por aqui.

O estrategista precisa ter competência para tomar decisões arriscadas, não operacionais, que vão impactar diretamente nos três níveis e nas duas principais camadas de crescimento de uma empresa; o marketing e a  comunicação.

Inclusive, não misturar essas duas palavras; marketing e comunicação, é o primeiro passo para que você, que está lendo este texto, compreenda o seu lugar enquanto planejador e estrategista.

Mas vamos deixar esse assunto para um próximo conteúdo.

No momento, fica aqui um pedido de reflexão para você que leu até aqui:

Que tipo de planejador você é?

O vendedor ambulante ou o que sabe o que está vendendo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *