fbpx

Há dois anos, lancei o Programa Digital Planners. Não tinha esse nome.

Foi em um momento de pressão profissional, insegurança financeira e em um período que eu deixava para trás uma fase estressante na minha vida profissional.

Estressante a ponto de ter a saúde mental e física prejudicadas.

Uma fase em eu não mais acreditava no que fazia profissionalmente; a fase que vivia em um ambiente de agência que ainda respirava os anos 90 da propaganda em todos os aspectos culturais que a época aplaudia.

Felizmente, segui umas das premissas básicas do Planejamento; estudar o passado nos faz entender o futuro pra colher no presente.  

Como não gosto de coitadíssimos, contei isso para pouquíssimas pessoas.

É provável que já tenha citado tal fato em alguma das gravações do SMXPlay, em algum episódio sobre “glamorização” ao excesso de trabalho ou em bate papos aleatórios com amigos. E certamente será um tema bastante abordado no meu PODCAST.

Lancei o curso em um momento estressante a ponto de querer jogar tudo pro alto e mudar de carreira.

O problema, e, digamos, problema no bom sentido, é que eu realmente sou uma pessoa extremamente empolgada com o universo do Planejamento.

Foi então que percebi que o projeto Digital Planners havia me dado um novo sentido e um novo rumo profissional. De novos parceiros a novos clientes. De novas jornadas de trabalho a uma saúde mental recuperada.

Hoje em dia não me vejo atuando em outra profissão que são seja comunicação. Que não seja com Planejamento Estratégico de comunicação.

Trabalhar com comunicação foi uma responsabilidade que escolhi ter na vida, por um único motivo: TUDO É COMUNICAÇÃO (inclusive este foi o slogan do meu primeiro blog, lá em 2009, se não me engano).

O que eu não contei pra ninguém, ou pelo menos, se contei, foi para pessoas mais próximas, é que o Programa Digital Planners existia no papel, planejado e estruturado por mais de 2 anos.

Obviamente, quando fui lançar ele de fato, mudei e alterei muitos dos temas.

A princípio seria um curso focado em ferramentas, metodologias e tudo isso que a gente vê por aí.

Só que essa seria a melhor forma de eu cair novamente no descrédito comigo mesmo. E como aprendi com o passado, não era hora de ser “eco” do que o mercado gritava. Ou ainda grita.

Se caso você leu até aqui, e está se perguntando: “Mas por que toda essa historinha, Edson?”.

Resolvi contar essa pequena história pra vocês, leitores, amigos, membros e, por que não, inimigos, pois ao fazer parte do Programa Digital Planners, você estará fazendo parte de uma comunidade que leva na marca e nos valores institucionais os meus valores éticos e humanos.

Valores aos quais são inegociáveis.

Quanto mais vocês me conhecerem, mas poderão tirar suas dúvidas sobre o valor do investimento. Não quero ninguém comprando por impulso ou por uma chamada sensacionalista em algum CTA.

Quero que saibam exatamente onde estão investindo o tempo de vocês. Pois antes de considerar os atributos financeiros envolvidos, que em tempos de crise são importantes, peço que ententam que nós temos uma moeda muito mais valiosa; o tempo.

É um programa, não é um curso.

E, por fim, e não menos importante, ao chamar de “Programa” e defender  isso abertamente, eu não estou apenas dizendo que será algo contínuo, como também estou dizendo que eu, enquanto fundador, junto com o Rafa e todos os  membros  – atuais e futuros – vamos trabalhar para que sejamos diferentes da manada que quer tudo pra ontem.

Eu acredito em um futuro brilhante para mentes conscientes de que comunicação, independente das suas subdivisões e especificidades, é uma responsabilidade social muito grande.

Muito obrigado pela sua atenção e até o próximo conteúdo.

Edson Caldas Jr -Idealizador

One thought on “Digital Planners: responsabilidade e valores éticos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *